Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BRUXELAS

BRUXELAS

Primeira Innovation Sessions em Bruxelas decorreu em Bruxelas com sucesso

Captura de ecrã 2016-11-23, às 13.10.22.png

 

A primeira sessão Inovation Sessions, uma iniciativa da aicep Portugal Global em colaboração com a CIP, a Agência Nacional de Inovação (ANI) e a Eupportunity, decorreu em Bruxelas na passada segunda feira, tendo tido uma enorme afluência de participantes portugueses e estrangeiros interessados na abordagem dos temas da Energia e da Aeronáutica.

 

Mais fotografias do evento na página Facebook da Eupportunity.

 

1ª Innovation Sessions - Aeronáutica e Energia: 21 de Novembro em Bruxelas

Untitled.png Falta 1 SEMANA para o encerramento das inscrições para a 1ª Innovation Session – Energia e Aeronáutica,  dia 21 de Novembro em Bruxelas, com a participação do Comissário da União Europeia para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas.


Está já confirmada a participação das seguintes entidades: Siemens Portugal, Volkswagen Autoeuropa, ISQ,  EDPR,  Embraer Portugal, ESTELA - European Solar Thermal Electricity, EUREC - European Renewable Energy Research Centres, TECNALIA, REScoop - European Federation of Renewable Energy Cooperatives, Energy Cities, ETIP PV - European Technology & Innovation Platform PV, Dassault Aviation, EREA-Clean Air Systems.

 

No evento, que junta stakeholders europeus – empresas e universidades - dos sectores da Energia e da Aeronáutica, Comissão Europeia e associações sectoriais, serão apresentadas e discutidas políticas, agendas estratégicas e tendências tecnológicas e de inovação.


Adicionalmente, as sessões sectoriais das 16h30 serão dedicadas à apresentação de todos os inscritos no evento, empresas/universidades/plataformas tecnológicas de diferentes Estados Membros da União Europeia, uma oportunidade para os participantes portugueses se promoverem perante a Comissão Europeia e potenciais parceiros europeus.

 

Trata-se de uma oportunidade para receber informações actuais dos oradores da Comissão Europeia, promover a sua empresa ou instituição e reforçar o networking europeu, potenciador de negócios para aproveitar os fundos europeus disponíveis nestes sectores.

 

Poderá participar neste evento vindo num voo de manhã e partindo no último voo da noite.

 

Para consultar a agenda e proceder ao registo clique aqui.

Innovation Sessions - Energia e Aeronáutica

Captura de ecrã 2016-10-11, às 15.21.22.png

 

A AICEP, a Confederação Empresarial de Portugal, a Agência Nacional de Inovação e a Eupportunity organizam a primeira Innovation Session no dia 21 de Novembro em Bruxelas (Comité Económico e Social, das 14h às 18h30).


Com a participação do Comissário para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, a primeira sessão vai focar-se nos temas Energia para o Desenvolvimento Sustentável e Aeronáutica como Driver de Inovação.


No evento, que junta stakeholders europeus – empresas e universidades - dos sectores Energia e Aeronáutica, Comissão Europeia e Associações Sectoriais, serão apresentadas e discutidas políticas, agendas estratégicas e tendências tecnológicas e de inovação.


Mais informações e inscrições (sem custos, até ao dia 14 de Novembro), aqui.

 

Stakeholders da plataforma Citizenergy publicam posição conjunta sobre ‘crowdfunding’

 

Captura de ecrã 2016-06-21, às 11.35.28.png

 

Iniciada em 2014, com o apoio da Comissão Europeia, a plataforma citizenergy.eu promove a divulgação de projectos de energia renováveis que procuram financiamento e o envolvimento das comunidades locais. A Eupportunity é membro do consórcio promotor que conta com 14 empresas, associações europeias e uma universidade, incluindo uma outra empresa portuguesa, a Boa Energia.

 

Considerando o facto de que ainda existem demasiadas barreiras que impedem o desenvolvimento de plataformas de crowdfunding que permitam investimentos transfronteiriços, os membros deste consórcio, juntamente com outras entidades, publicaram uma posição conjunta na qual solicitam à Comissão Europeia que apoie e promova o crowdfunding na União Europeia.

 

Em preparação: novo quadro para a rotulagem da eficiência energética

Captura de ecrã 2016-06-14, às 11.16.57.png

 

Remonta já a 1994 a primeira rotulagem da UE de produtos energéticos, que estabelecia uma classificação de G (menos eficiente) a A (mais eficiente). Posteriormente, atendendo à melhoria da eficiência energética dos produtos, a classificação foi alargada até A+++.

 

Porém, a eficácia desta classificação encontra-se reduzida, pois a maioria dos produtos actualmente no mercado são de classe A (ou mais elevada). Esta situação levou a Comissão Europeia a propor o regresso à classificação de A a G, reformulada.

 

Esta proposta foi discutida e alterada na semana passada na Comissão Indústria, Investigação e Energia do Parlamento Europeu, cuja posição final será agora agendada para discussão em sessão plenária (em princípio no próximo mês de Setembro).

 

Em que consiste o novo pacote de propostas da Comissão em matéria de energia?

 

A Comissão Europeia dispõe de uma estratégia para a União da Energia que assenta em cinco domínios políticos interligados: a segurança do abastecimento, a integração total do mercado, a eficiência energética, a redução das emissões e a investigação e desenvolvimento.

 

Foi no quadro desta estratégia que a Comissão apresentou, na semana passada, as suas propostas relativas a um novo quadro para os consumidores de energia, ao lançamento de uma nova configuração do mercado europeu da electricidade, à actualização da rotulagem em matéria de eficiência energética e à revisão do regime de comércio de licenças de emissão da União Europeia.

 

A primeira proposta - relativa à capacitação dos consumidores -, baseia-se numa estratégia que pretende ajudar estes últimos a poupar energia e dinheiro, fornecer-lhes mais poder de escolha quanto à sua participação nos mercados e maximizar a sua protecção.

 

A segunda proposta - relativa à nova configuração do mercado -, abre uma consulta pública relativa à forma de funcionamento do mercado da electricidade para se ir de encontro às expectativas dos consumidores e obter benefícios reais das novas tecnologias.

 

A terceira - relativa à eficiência energética -, reconhecendo que a actual rotulagem é demasiado complexa, propõe o regresso à escala de rotulagem original (de A a G), mais simples e melhor compreendida pelos consumidores.

 

A quarta proposta resulta de uma revisão do regime de comércio de licenças de emissão e tem entre os seus objectivos a intenção de preservar a competitividade internacional dos sectores da indústria que correm mais riscos de ver a produção deslocalizada para zonas menos restritivas em matérias de gases com efeito de estufa fora da União. É ainda proposto que as receitas provenientes do regime de comércio de emissões sejam utilizadas pelos Estados-Membros para financiar acções que ajudem países terceiros a adaptar-se aos impactos das alterações climáticas.

 

 

BEI lança novos instrumentos de financiamento

O Grupo do Banco Europeu de Investimento e a Comissão Europeia lançaram novos instrumentos de financiamento para aumentar a competitividade das empresas inovadoras na Europa, no contexto do programa InnovFin – EU Finance for Innovators.

 

Estes instrumentos visam apoiar projectos em sectores de ponta que podem  ser considerados não financiáveis durante a sua fase pré-comercial.

 

O InnovFin Energy Demo Projets apoiará projectos vanguardistas de demonstração industrial nas áreas de energias renováveis e de células de combustível de hidrogénio e de combustível.

 

O InnovFin SME Venture Capital Facility fornecerá fundos de capital de risco a start-ups que frequentemente se deparam com dificuldades para obter financiamento.

 

O terceiro instrumento, o InnovFin Infectious Diseases, tem como objectivo a disponibilização mais rápida de novos medicamentos, vacinas e dispositivos médicos e de diagnóstico, financiando projectos com risco elevado para o investidor, nestes domínios.

 

Consulta pública sobre a lista de Projectos de Interesse Comum

 

A consulta pública da Comissão Europeia sobre a lista de projectos de infra-estruturas eléctricas e de gás propostas como Projectos de Interesse Comum (PIC) vai terminar a 31 de Março.

 

O estatuto de PIC permite que um projecto de infra-estruturas energéticas beneficie de um estatuto especial que permite ter um procedimento de licenciamento mais rápido, condições de regulação vantajosas e ter acesso a financiamento do programa europeu Connecting Europe Facility

 

O objectivo dos PICs é facilitar o desenvolvimento de projectos estratégicos para a União Europeia e permitir a criação do Mercado Europeu de Energia. A maioria dos projectos está relacionada com redes de transmissão de electricidade e gás mas também existem projectos de armazenamento de electricidade e gás, terminais de gás natural (GNL) e de redes inteligentes.

 

A consulta pública tem como objectivo recolher as opiniões de empresas, associações empresariais, PMEs, sindicatos, consultores, organizações de consumidores e outras partes relevantes, bem como de cidadãos. Pode responder à consulta pública aqui.

 

União Europeia da Energia

ID-10082631-400x272.jpg

A Comissão lançou as bases daquilo que será a União Europeia da Energia, um passo essencial para a conclusão do mercado único da energia e para reformar o modo como a Europa produz, transporta e consome energia. A União Europeia, neste momento, importa 55% da energia que consome e sente uma necessidade cada vez mais premente de diversificar as suas fontes de abastecimento. É, ainda, necessário limitar o impacto das alterações climáticas e manter a energia a preços acessíveis, nomeadamente utilizando mais energia de fontes renováveis e melhorando a eficiência energética.

 

Para além disso, as infraestrururas existentes estão a envelhecer e é necessário criar novos corredores para agilizar o transporte de energia dentro do mercado interno.

Maroš Šefčovič, Vice-Presidente para a União da Energia afirmou que "as nossas políticas energéticas actuais são totalmente insustentáveis e temos uma necessidade urgente de reorganização. Os cidadãos devem estar no centro da nossa política energética. (...). A União Europeia da Energia pretende romper com a cultura de silos e trazer para a mesma mesa todos os actores relevantes - em suma, a União Europeia da Energia irá ser uma nova forma de fazer política energética na Europa".

A estratégia-quadro da União Energia será adoptada no próximo dia 25 de Fevereiro.

 

Novas oportunidades no Horizonte 2020 – Transporte e Energia

A Comissão Europeia publicou cinco convites para apresentação de propostas nas áreas dos Transportes e Energia, no âmbito do programa dedicado à investigação e inovação, o Horizonte 2020, com um orçamento global de 500 milhões de euros.

 

Na área dos Transportes existem dois convites sob o tema “mobilidade para o crescimento” focados em soluções inovadoras e integrantes em vários modos de transporte e com uma forte componentes de tecnologias de comunicação e informação. Um dos convites tem particular ênfase na cooperação transnacional com países europeus e terceiros. Os prazos para a apresentação de candidaturas terminam a 23 de Abril de 2015 (primeira fase) e a 15 de Outubro de 2015 (segunda fase).

 

Na área da Energia existem outros dois convites, sob o tema “energia hipocarbónica competitiva”. Focados em soluções renováveis emergentes e sustentáveis, têm uma forte componente em tecnologias da comunicação e da informação (TIC). O prazo de candidaturas termina em 5 de Maio de 2015.

 

Por fim, o quinto convite lançado trata do tema “cidades e comunidades inteligentes” e visa investir em projectos de demonstração em grande escala de soluções de integração de energia, transportes e sectores das TIC, bem como no desenvolvimento de normas de sistema para este tema. O prazo de candidaturas termina a 5 de Maio de 2015.

Programa Horizonte 2020 – Edifícios Inteligentes

A Comissão Europeia e algumas associações de indústrias uniram-se para abordar as principais questões em áreas de investigação-chave como novos processo de fabrico, métodos de processamento sustentáveis, automóveis sustentáveis e edifícios inteligentes.

 

A Parceria Publico-Privada para os Edifícios Inteligentes, constituída com a European Energy-efficient Building Association, pretende inovar no sector da construção, desenvolvendo tecnologias e soluções de ponta a preços acessíveis e impulsionando as cidades no sentido de se tornarem verdadeiramente inteligentes.

 

Em 2014 houve quatro convites à apresentação de propostas. Para 2015, já abriram outros quatro relativos a temas como ferramentas de design para remodelações, soluções para armazenamento de energia térmica ou soluções completas para a adaptação para edifícios residenciais.

 

Objectivos europeus climáticos flexíveis

Na sua reunião do final de Outubro, os líderes europeus acordaram em reduzir as metas de emissão de gases de estufa e aumentar a eficiência energética e o contributo dos renováveis. Acordaram também em aumentar a interconectividade das redes eléctricas nacionais, avançando para a criação a União Energética.

 

Com esta decisão, a Europa espera marcar a sua posição junto de grandes países poluidores (ex. China), nas vésperas da cimeira da ONU, em Paris, em 2015, onde se quer alcançar um acordo legal para os limites de emissão de gases de estufa. Por outro lado, uma maior interconectividade diminuirá a dependência no gás russo.

 

Contudo, os líderes europeus incluíram no texto uma cláusula de salvaguarda, que permitirá aos Estados-Membros voltar aos objectivos climáticos originais depois das negociações da ONU. Adicionalmente, o objectivo acordado para a eficiência energética, não vincula legalmente os Estados-membros e é ligeiramente mais baixo do que a Comissão Europeia pretendia (30%).

 

Portugal e Espanha insistiram que a França impede que comercializem o seu excesso de produção energético e queriam alcançar um acordo que obrigasse cada Estado-Membro a disponibilizar 15% da sua capacidade de produção a outros países da União. Em vez disto, foi acordado que a comercialização seria aumentada em 10%, com prioridade para Portugal, Espanha e países do Báltico, apelidados de Ilhas Energéticas.

 

Semana Europeia da Energia Sustentável e Dias da Energia 2014

 

A nona edição da Semana Europeia da Energia Sustentável vai este ano decorrer de 23 a 27 de Junho, em Bruxelas.

 

No quadro deste evento, que se tornou uma referência para as autoridades públicas, as agências de energia, empresas, ONGs e associações de indústria interessadas em ajudar a União Europeia a atingir as suas metas em matéria de alterações climáticas, vai realizar-se uma Conferência Política de Alto Nível, cujo programa já se encontra disponível.

 

A participação no evento é gratuita, mas é necessário efectuar-se um registo de participação prévio, online, até ao dia 8 de Junho.

 

Por seu turno, os Dias da Energia vão ocorrer durante todo o mês de Junho e por toda a Europa.

 

Mais informações aqui aqui.

 

Que projectos europeus de infraestruturas energéticas são elegíveis para um financiamento de 5,85 mil milhões de euros?

 

Alguns dos cerca de 250 que constam da lista recentemente apresentada pela Comissão Europeia. Se seleccionados, poderão beneficiar de procedimentos rápidos de planeamento e concessão de licenças, de condições regulamentares favoráveis e de financiamento oriundo do Mecanismo Interligar a Europa, que será dotado de um orçamento de 5,85 mil milhões de euros para o período 2014-2020.

 

A lista em questão, da qual fazem parte três projectos portugueses, pode ser consultada aqui.

 

Esta lista será actualizada a cada dois anos. Os projectos ultrapassados serão e eliminados e substituídos por outros. Para integrar a lista, os projectos deverão trazer consideráveis vantagens paradois Estados‑Membros (no mínimo), contribuir para a integração do mercado e o reforço da concorrência, aumentar a segurança do aprovisionamento e reduzir as emissões de CO2.

 

 

Comissário Europeu da Energia em Portugal

 

O Comissário Europeu da Energia, Günther Oettinger, desloca-se amanhã a Portugal para participar na conferência Infraestruturas Energéticas, Sustentabilidade e Eficiência, na biblioteca da Fundação Serralves, onde também estará presente o Deputado Europeu Correia de Campos.

 

O Comissário também visitará dois beneficiários de financiamento comunitário: as instalações da Enercon, uma das maiores produtoras mundiais de aerogeradores, em Viana do Castelo, e o projecto Wind Float, na Póvoa de Varzim, um projecto da EDP destinado à construção de estruturas flutuantes para o suporte de aerogeradores offshore para a produção de energia eólica.

 

Sobre o autor


UE via SAPO Notícias

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.