Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BRUXELAS

BRUXELAS

Fraudes climáticas

 

 

A Transparência Internacional (TI), organização baseada em Berlim, publicou um relatório bastante crítico do financiamento dos 20 países mais vulneráveis às alterações climáticas. Segundo a TI, estes países estão entre os mais corruptos do mundo e não têm sistemas financeiros adequados que assegurem que as verbas sejam realmente canalizadas para a mitigação das alterações climáticas.
A TI adianta ainda que o regime comunitário de emissão de licenças de carbono ou o mecanismo de desenvolvimento limpo das Nações Unidas são opacos, propícios a fraude e pouco eficazes. O sector florestal é igualmente apontado como uma das áreas mais vulneráveis à corrupção, necessitando de uma maior supervisão.
A TI prevê que, até 2020, cerca de 471 mil milhões de euros sejam gastos em investimentos de adaptação e mitigação das alterações climáticas.