Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

BRUXELAS

BRUXELAS

Comissão quer regionalização nas pescas

 

A comissária dos Assuntos Marítimos quer a União a traçar objectivos mas os estados-membros a alcançarem resultados. A UE importa 2/3 do pescado que consome, há sobre-exploração de muitas espécies, a frota comunitária continua excessiva e a pesca mantém-se uma área muito vulnerável a factores externos, como o preço dos combustíveis. Ou seja, a acção comunitária é imperiosa.
No entanto, Damanaki tem dois objectivos principais para a futura política das pescas [a apresentar este Verão]: tornar os limites traçados em 2002 de rendimento máximo sustentável obrigatórios e impedir as devoluções (quem ultrapassar as quotas deve poder vender o excesso a quem ainda não as alcançou). Para que tudo seja cumprido é necessária uma regionalização nas pescas; a União será o “farol” mas cada estado-membro escolherá as medidas apropriadas.