Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BRUXELAS

BRUXELAS

Educação: apoio a projectos para a promoção da integração da etnia cigana

 

A Comissão Europeia lançou um convite à apresentação de projectos no domínio da integração dos ciganos na educação e através dela. Desta forma, visa apoiar projectos de cooperação transnacionais para desenvolver medidas que aumentem os níveis de participação e de aproveitamento dos alunos ciganos. Visa também apoiar actividades em rede que dêem visibilidade às experiências mais bem sucedidas.

 

Podem propor projectos ONGs envolvidas na integração dos ciganos, outros organismos públicos e organizações de partes interessadas, ministérios nacionais com a tutela do ensino e formação, escolas, bem como outros organismos de formação que operem nos Estados-Membros.

 

A duração máxima por projecto é de 12 meses e as actividades devem ter início entre 1 de Janeiro de 2012 e 31 de Março de 2012.

 

A data-limite para a apresentação das candidaturas é 16 de Setembro de 2011.

 

 

Rede europeia sobre a educação das crianças e dos jovens oriundos da imigração


A Comissão Europeia lançou um convite à apresentação de candidaturas para apoiar o estabelecimento de uma rede europeia destinada a analisar, desenvolver e partilhar políticas e práticas no domínio da instrução das crianças e jovens oriundos da imigração.

 

Podem apresentar propostas Ministérios da Educação, outros organismos públicos, institutos de investigação e universidades, fundações e associações.

 

O período de vigência da convenção-quadro será de 2012 a 2014 e a dotação total destinada ao co-financiamento desta rede é de 500 000 EUR para 2012. A assistência financeira da Comissão não pode exceder 75 % do total dos custos elegíveis e a duração máxima dos projectos é de 36 meses.

 

A data-limite para a apresentação das candidaturas é 14 de Outubro de 2011.

 

 

A educação é uma vantagem

 

 

O capital humano - educação e aptidões – justifica 70% das diferenças de rendimento entre as 271 regiões europeias. Divergências essas que são maiores entre regiões do que entre países da União Europeia. As conclusões são de uma investigação sobre o capital humano  que explica como as regiões podem estimular o crescimento e inclusão do centro de investigação, Lisbon Council.

O estudo tem em conta duas dimensões: o desemprego dos jovens e a criação de empregos que requerem grande perícia, duas vertentes que permitem avaliar se uma zona é mais ou menos rica.

O responsável pela investigação defende que seria vantajoso criar uma instituição europeia com gestores por região para gerir estas diferenças.