Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

BRUXELAS

BRUXELAS

Gestão de resíduos radioactivos

 

Os estados-membros devem poder exportar para fora da União resíduos radioactivos, desde que o seu processamento respeite  as regras de segurança comunitárias.
O Comité da Energia do Parlamento votou favoravelmente a exportação destes resíduos na discussão sobre o projecto de directiva relativo à gestão de resíduos radioactivos e de combustível irradiado. Os eurodeputados pretendem ainda a implementação de medidas mais rígidas relativas à formação, segurança e saúde dos trabalhadores envolvidos na gestão destes resíduos.

Testes de “stress” para centrais nucleares na UE

 

 

Os trágicos acontecimentos ocorridos no Japão e o eminente perigo de catástrofe nuclear na central de Fukushima, precipitaram o debate sobre a segurança das centrais existentes na UE.

Para evitar perigos futuros todas vão ser sujeitas a testes de segurança contra riscos de tremores de terra, tsunamis, ataques terroristas e cortes de energia.

Todos os chefes de estado concordaram em realizar os testes, mas até agora só a Alemanha, a França e a Espanha se comprometeram a fechar os reactores que chumbem no exame.

A UE quer também garantir que tudo está a ser devidamente controlado nas centrais nucleares dos países vizinhos da Europa.

Os teste vão ocorrer até ao final do ano.

Os 27 estados membros têm, ao todo, cerca de 150 reactores nucleares.

 

Referendo ao nuclear na Polónia?

 

 

O primeiro-ministro polaco, Donald Tusk, coloca a hipótese de referendar a construção de duas centrais nucleares, depois dos partidos de esquerda, membros da oposição, o terem proposto.
A Polónia planeia a construção de dois reactores nucleares de 3 GW (Gigawatts), por forma a reduzir a sua elevadíssima dependência energética do carvão (90%) e as altas taxas de emissão de CO2 para a atmosfera.
Antes da catástrofe de Fukushima, no Japão, os polacos manifestavam-se claramente a favor da construção das centrais nucleares, mas, após o incidente, os partidários do “não” aumentaram exponencialmente nas sondagens.

UE planeia testes de esforço às centrais nucleares

 

 

 

Os graves desenvolvimentos na central nuclear de Fukushima, no Japão, dominam as atenções na União Europeia. O Comissário responsável pela Energia, Günther Oettinger, que apelidou os eventos de “apocalipse”, anunciou a realização de testes de esforço às instalações nucleares europeias até ao final do ano.
Os testes incidirão sobre a possível ocorrência de actividades sísmicas e a iminência de tempestades ou inundações. Alguns eurodeputados já alertaram para a necessidade de avaliar outros potenciais cenários, como os ataques terroristas.
Segundo Oettinger, o aspecto mais importante destes testes será assegurar normas europeias comuns de segurança. A Comissão Europeia espera que os testes possam igualmente realizar-se nos países vizinhos, como a Suíça, Turquia ou Rússia.

Pesquisar

 

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.